sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Poema Roubado



Te vejo em Maio.
Pois o meu céu ainda não Abril.
Despedaçado!
Eu Julho que ate lá, estarei Agosto,
tato e ouvido só pra ti.
Te desejo não nego; mas me contraio.
Uma vez que a cama de casal comportava mais que um; quando um éramos.
Hoje deposito meus sonhos em um colchão de Fevereiro.
( Já passou meu carnaval. )
Portanto não se iluda.
O reencontro desta ligação perdida
Será a resposta para todas as chamadas não atendidas.
Dessa vez é Outubro ou nada?
(Raiva recolhida de uma forma bem explícita.)
Ah, se você soubesse como dói quando eu Novembro de seu atletismo com as cercas.
E eu em cima do muro com a dúvida que ainda me cercas:
- Te amo ou te mando a merda? [...]
Sem ofensas...
São apenas resquícios de paixão mal resolvida.
Sem necessidade de explicações para os erros.
Tempo esgotado, agora, promessas só em Janeiro.
Você vai sentir, espere ate a hora marcada.
E que fique claro!
Não é para magoar o seu ser,
E sim acalentar o meu estar.
E novamente ver seus olhos ardendo de desejo...
Provocado por algo que só o Amor tem.
Disso, eu Dezembro bem.

(De Antonio M. p/ Rodrigo M.)

3 comentários:

Sabrina Gahyva disse...

rrrrrrrrrrrrrrrrr

7vezesquesejadoce disse...

que texto lindo =) leio seu blog já faz um tempo, gosto mto, mas tinha preguiça de fazer um pra mim, postar meus textos e comentar. bem, agora já estou aqui te 'seguindo', acostume-se com as minhas visitas haha :D beijos =*

Salamandra Malandra disse...

hey de me acostumar com tantas estrelas, tendo em vista que JOY SOY una estrelita pequenita.
]

flactio