terça-feira, 8 de setembro de 2009

...

Seja na ilha de Lemos ou no monte Etno,
ele chora fagulhas.
Outros sorriem em Delfos, sob o santuário.
A mortalha, que a todos abraça, também chora.
Outros sorriem.
Uma chuva de vulcões cospem pétalas vermelhas.
Da cor vermelha.
Vulcano, na sua enorme piedade, chora.
Os outros apenas lançam sorrisos.


Quentes como salamandras.

3 comentários:

lidiane disse...

E eu me petrifiquei, tal qual um ser lava, q se suja, não limpa...
E eu me petrifiquei, tal qual uma lava, acho q uma larva... virei borboleta quente... morri na boca da salamandra

equilibrista disse...

você sabia que borboleta que se alimenta de grão de milho transgênico, nasceu para ser verme?

Sabrina Gahyva disse...

verme não dá risada. faz cócegas.