terça-feira, 16 de março de 2010



A gaivota
pousou
levemente
sobre a pedra

e recolheu o seu vestido
de vento.


Quando pega carona
no ar
ela o deixa
solto, abre
seus bordados
nessa dança
de brisa

caminha com o mar.


(Portugal - Algarve - Lagos - ago/2009)

5 comentários:

Juliana Vaz disse...

ia dizer que seus poemas são como pintura.

depois de ler algumas vezes, vi que o movimento é muito mais cinematográfico.

parabéns,

j.v.

pedrinha disse...

<3

Sabrina Gahyva disse...

chuáá

mari dutra disse...

a-do-ro!

Salamandra Malandra disse...

é verdade. o vento não mente. só venta.