segunda-feira, 8 de março de 2010

::going into sayonara nihon phase::

meus pés agônicos pediram pra lamber o asfalto e desenhar na ladeira fria daquela cidade de dor.
sem entender os calcei, e com bot'anti-lágrima corri num escorregadio desatino,
salpicando lamentos nas roupas dos que m'esbarravam.


rebobinando a memória vi, pero demasiado tarde,
o hálito dele tornando-se o rarefeito ar qu'eu engolia pra sobreviver
enquanto sutilmente seu desespero inscrevia-se em minha míngua língua.

sem saber.
soube.
'despedir dá mesmo febre'




:: frase roubada anonimamente dos dedos d'um indiano que chorou, despedindo-se [supongo]

5 comentários:

Katyussa Veiga disse...

descobri que meus pés são retóricos

Sabrina Gahyva disse...

"embrulha-se pés retóricos em lenços vermelhos", dizia a placa de sinalização na asa quebrada esquerda.

Katyussa Veiga disse...

envia-se uma resma de beijo sob encomenda.

Lidiane Barros disse...

Caraaaa. arrasou. amei

Salamandra Malandra disse...

descobri uma música em meio ao bico do pintassilgo.