terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Pássaros



mPreciso imitar
mnnnnnnno canto dos passarinhos
mmmmmmmmantes que comece a brilhar
aaaaaaaaaaaaaakkkkkkkkkkkkkkka manhã.
mmmmmmmm Antes que um sabiá sem graça
kkkkkkkkkkkencha o seu peito laranjeira
lllllllllllllllllle o saco deste notívago.
pppppppNa forma de um poema
ooooooooesta é a minha versão
aaaaaammmmmmmmbípede emplumada
ooollllllllllllllllllllllllllllllllooodo amanhecer o’clock
zzzzzzzzzzzzzzlllllllll. . .
mmmmmmmmmmhitchcock

4 comentários:

c qué vê escuta disse...

Preciso matar
a exibição de um galo
antes que comece me invadir
a manhã.
Antes que um garnizé sem graça
estufe o peito penudo
e infle minha camada de estufa
Na forma de um emblema
que se poema
nós se fodema, ops se fudemo

c qué vê escuta disse...

O dia já está a me empurrar
Chego até a escorregar
não sei se devo ser gente
ou se devo ser louca
não sei se faço certo
ou se me jogo num córrego

Lorenzo Falcão disse...

c qué vê escuta é expressão antiga do cuiabanês cheia de re-significações hipertextuais

Sabrina Gahyva disse...

Eu bem gosto dessa meio interjeição, meio previsão, luz e escuridão no coração. Sem rima, necessariamente.