quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Cheguei na cidade e iniciou-se uma guerra.
Tirei os sapatos e saí para caminhar.

Hoje acordei cedo e molhei as plantas.
Agora tenho um jardim para cuidar.


Choveu um oceano no Rio de Janeiro.
O jardim se afogou e estamos ilhados.


Entre o silêncio e o piano, sinto
a eternidade de nossa natureza.

Às vezes me invadem ruídos do passado.
É preciso acalmar e seguir.
Não há mais tempo para desamor.


4 comentários:

Guilherme Mello disse...

Simetria perfeita nas palavras, abaixo a tudo que não for verdade, de verdade. Como tu mesmo disse, 'não há mais tempo para desamor.'

stella disse...

passarinhamos.

Katyussa Veiga disse...

pela saudade que m'inunda peço um pedaço a mais de desapego

Katyussa Veiga disse...

pela saudade que m'inunda peço um pedaço a mais de desapego