terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Águas de Março

 
Acordei esta manhã com meu pau duro, e um sorriso entre os dentes por não ter sido por você. Natural que eu me preocupe, pois sua ausência por estes dias não pode me catalisar, em meu âmago mais profundo, meu tesão incontido. Fazer o quê se isto peca contra meus princípios, e contra toda minha educação latente. Fazer nada se isto soa paradoxal e retrógrado. Eu sonhei com outra menina que me alucina. Ela era loira, cabelos curtos, e os seios ainda que incipientes, e talvez mesmo por isso tão bons, tão duros. E eu passava a mão por eles entre o sutiã. Cada palma de minha mão era meu olho, meu lábio e minha língua, e eu tremia à medida que a sentia. Ela gemia, o vapor de sua respiração provocava fulgor. Era fulgor. Ela, dura a princípio, mas minhas mãos em suas costas, a boca em sua nuca, em seu queixo, degustando a maciez e o perfume da pele, demonstrando isso com cada esporro de minha carne, acabou por enfim derretê-la. E foi assim mesmo que se deu, ela deixou-se cair confiante que a seguraria, como se um orgasmo. Aquilo por si só me fez sonhar. E era sonho.
 
Acordar não me trouxe frustração. Sonhara com outra mulher que não você. Deixara-me levar por outra mulher que talvez um dia eu encontre, e então não mais precisarei sonhar que volto a gozar. Gozarei simplesmente.

4 comentários:

Anônimo disse...

Quero comer o andarilho.

Salamandra Malandra disse...

eu quero chupá-lo de canudinho.

Sabrina Gahyva disse...

me passa o pó de alho, por favor

Guilherme Muzulon disse...

também gosto de conhar com loiras de cabelo curt oe peitos ainda incipientes.

aliás, sonhar com mulher não é algo ruim.. frequentemente


hahaha (a palavra do quadro abaixo 'verificação de palavras' é a seguinte: "COPINTU")

rachei o bico de rir, hsahsduhsad