terça-feira, 24 de novembro de 2009

EU

(...)
Meu maior consolo
É o adormecer, que me despede do mundo
E me entrega nos braços da exaltação
Dos sonhos incomunicáveis
(...)

Tiago Satarê
poeta indígena da Amazônia

2 comentários:

Sabrina Gahyva disse...

consolos amazônicos correm um rio em mim.

Katyussa Veiga disse...

em sonos ininteligíveis, amazônias me calam.