segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Coração,
segue livre
as estradas da vida

Seja leve (sempre)
como o vento
e o amor que habita os sorrisos sinceros (e gigantes)

Os novos dias,
virão tranquilos,
como o seu olhar,
eu sei


Não tenha medo
em se lançar
por entre os (re)encontros
da alma, serena entre
sol e mar

os peixinhos,
as estrelas
a beleza natural
dessa nova estação.


Segue livre,
seja leve (como o vento),
coração.


Um comentário:

Salamandra Malandra disse...

pedrinha.....putz grila mermão!
ae, demoroh!