sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Romantismo


Nossas roupas comuns dependuradas
como um conto de fadas.
Nossos panos de bunda
em busca de um varal comum.
No amor quantificado, abunda,
a vontade de soltar um pum.


Por obséquio: texto publicado na revista dIFENRENTE, na Literamérica 2005. Ilustração: At the Concert Européen, de Georges Seurat, 88 anos antes.

Um comentário:

fochesatto disse...

no melhor da festa.